Rio de Leite

Parceira do Leite Forte, UEMS desenvolve Projeto que visa a produção de embriões de bovinos leiteiros com genética superior

10 Novembro 2014  Imprimir 

Os animais serão disponibilizados a propriedades da região central do Estado por meio de comodato 

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, juntamente com os demais parceiros do Programa Leite Forte apresenta uma proposta inovadora. O Projeto prevê a produção de embriões de bovinos da raça Girolando com genética leiteira superior e totalmente adaptados as condições climáticas do Estado; bem como a capacitação de produtores, por meio de Dias de Campo, Palestras e Cursos, para que as tecnologias produtivas, em especial da nutrição, alimentação do rebanho leiteiro e técnicas reprodutivas, possam ser visualizadas e replicadas pelos produtores de leite.

As referidas ações ocorrerão no Centro de Referência em Produção de Leite do Estado de Mato Grosso do Sul (UEMS LEITE) implantado na UEMS/Unidade Universitária de Aquidauana. As novilhas e, especialmente os touros, serão disponibilizados por meio de comodato às propriedades rurais participantes do projeto que estejam aptas a receber estes animais, ou seja, com as condições nutricionais e sanitárias do rebanho adequadas. “Buscamos com isso promover por meio da pesquisa-ação uma melhora genética do rebanho leiteiro, principalmente nas propriedades que ainda utilizam o touro nelore, mas que não possuem condições financeiras implantar a Inseminação Artificial ou para comprar um touro leiteiro de alta qualidade”, afirma o Dr. Marcus Vinicius Morais de Oliveira, professor da UEMS responsável pelo projeto.

“Nesse sentido, este Projeto busca promover o desenvolvimento da bacia leiteira da região central de Mato Grosso do Sul e simultaneamente contribuir de maneira ativa no treinamento dos acadêmicos do curso de Zootecnia da UEMS, já que estes estarão diretamente envolvidos com as atividades do Projeto que estarão sendo realizadas no Centro de Referência em Produção de Leite do Estado de Mato Grosso do Sul (UEMS LEITE), de modo que estes alunos possam futuramente se tornarem profissionais especializados em pecuária leiteira”, afirma Dra. Fabiana de Andrade Melo Sterza, professora da UEMS e responsável pela produção dos embriões

Os municípios atendidos pelo Projeto desenvolvido pela UEMS serão Anastácio, Aquidauana, Camapuã, Campo Grande, Ivinhema, Nioaque, Nova Andradina, Sidrolândia e Terenos.  A indicação das propriedades será efetuada pelos técnicos que atuam no Leite Forte e a disponibilização dos primeiros animais deverá ocorrer em 18 meses.

  • bezerros

Comentários